Quais são os objetivos de cada fase do TOGAF ADM?

ADM (Architecture Development Method) é um dos componentes do framework TOGAF.

Os princípios básicos do ADM

  • Totalmente iterativo;
  • A cada iteração novas decisões;
    • Cobertura empresarial;
    • Dividido em fases;
    • Diferentes níveis de detalhe;
    • Re-uso de ativos de arquitetura
      • Iterações ADM anteriores,
      • outros frameworks,
      • modelos de sistemas,
      • modelos da indústria, …
  • Decisões baseadas em:
    • Competências / Recursos Disponíveis;
    • Maximizar o valor para o negócio da empresa.
TOGAF Architecture Development Method Cycle

TOGAF Architecture Development Method Cycle

Fases do ciclo de desenvolvimento de arquiteturas do ADM

Fase Preliminar

Preparar a organização para ser bem sucedida em projetos de arquitetura com TOGAF. Preparar e iniciar atividades para atender as diretivas de negócio para a nova arquitetura, incluindo a definição de um framework arquitetural específico da organização, ferramentas e a definição dos princípios arquiteturais.

Gerenciamento de requisitos

O gerenciamento de requisitos é o elemento central do ADM. O significado de se ter o gerenciamento de requisitos no centro ligado a todas as fases do TOGAF, exceto a preliminar, é garantir que cada estágio de um projeto TOGAF esteja devidamente ancorado em requisitos de negócio.

Fase A – Visão Arquitetural

Esta é a primeira fase de trabalho onde o escopo, restrições e expectativas devem ser definidos para um projeto TOGAF. As atividades: Criar a visão da arquitetura, definir os envolvidos, validar o contexto de negócio, criar a declaração de trabalho de arquitetura e obter aprovações.

Fases B – Arquitetura de Negócios, C – Arquitetura de Sistemas de Informação e  D – Arquitetura Tecnológica

Desenvolver arquiteturas em três níveis: Negócios, Sistemas de Informação (Dados e Aplicações) e Tecnologia. Em cada caso, desenvolver o Baseline e a Arquitetura Alvo fasendo a Análise de GAPs.

Fase E – Soluções e Oportunidades

Fazer o planejamento inicial da implementação e a identificação dos veículos de entrega para os blocos de construção identificados nas fases anteriores. Identificar os maiores projetos de implementação e agrupa-los em Arquiteturas de Transição.

Fase F – Planejamento de Migração

Analisar o custo-benefício e os riscos. Desenvolver implementações detalhadas e plano de migração.

Fase G – Implementação da Governança

Fornecer a fiscalização arquitetural para a implementação. Preparar e publicar os contratos da arquitetura (implementação do conselho de governança). Garantir que a implementação do projeto esteja em conformidade com a arquitetura.

Fase H – Gerenciamento de Mudanças da Arquitetura

Fornecer monitoramento contíniuo e um processo de gerenciamento de mudanças para garantir que a arquitetura responda às necessidades da empresa maximizando o valor para o negócio.

O assunto do próximo post será a terminologia do TOGAF.

Via: http://adrianotavares.com

Exibições: 1009

Comentar

Você precisa ser um membro de PanGea para adicionar comentários!

Entrar em PanGea

Badge

Carregando...

© 2019   Criado por Adriano Tavares.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço